Além da flacidez, outro “terror” das mulheres são as estrias, que também podem mesmo em menor incidência, afetar a pele dos homens. Mas o que são estrias e como elas surgem?

Estrias ou víbices são lesões dérmicas, classificadas como atrofias adquiridas, que surgem com o rompimento de fibras elásticas que sustentam a camada intermediária da pele, formada por colágeno e elastina. Com este rompimento se formam ranhuras lineares, de cor vermelha a branca.

Na região da pele acometida, ocorre uma atrofia, ou seja verifica-se uma diminuição da espessura da epiderme, desencadeando secura e pregueamento da mesma, além de menor elasticidade e diminuição de pelos no local.

Estrias vermelhas e brancasInicialmente a pele passa a ter o sintoma de prurido(coceira), evoluindo para hiperemia (aumento do volume sanguíneo em determinado local), desencadeando lesões avermelhadas e com o passar dos dias, formam-se as estrias brancas e lineares.

Geralmente as estrias surgem quando há um estiramento da pele, podendo ser por causa da gravidez, amamentação, aumento de peso, fatores genéticos ou até mesmo por fatores hormonais, muitas vezes relacionados ao uso de anabolizantes ou de medicamentos, como os corticoides de uso oral ou tópico.

Podem também, ser desencadeadas por condições patológicas, como a Síndrome ou Doença de Cushing, Hepatopatias Crônicas, Síndrome de Marfan, Pseudoxantoma Elástico e outras.

Estrias homensAs partes do corpo que elas mais surgem, são nas regiões das nádegas, quadris, coxas, mamas e abdômen nas mulheres, enquanto que nos homens, podem surgir nas costas (região dorsal), em parte da coluna vertebral (região lombossacra), na parte interna das coxas, parte do espaço peitoral (região superior do tronco), raiz de membros superiores nos ombros (região da cintura escapular – clavícula e escápula).

A incidência é maior no sexo feminino do que no masculino, circundando em boa parte de pessoas obesas e em alta porcentagem nos adolescentes de ambos os sexos e mulheres gestantes.Como são as estrias

Observando que no caso da adolescência isso pode acontecer devido a alterações hormonais e o fato de ligações colágenas imaturas; na gestação e lactação, relacionado a fatores hormonais e de distensão da pele; quando ao uso de anabolizantes e corticoides, com grande mudança hormonal, aumentando os andrógenos, glicocorticoides e estrógenos da pele; e em relação a obesidade, devido ao estiramento e ruptura de fibras elásticas da pele.

E infelizmente é unânime! Quem possui o problema, além de sofrer com todos os sintomas e sinais dessa desordem estética, também sente grande incômodo emocional o que reduz a autoestima. Evitando muitas vezes de exibir o seu corpo com roupas adequadas para o verão e banhos de piscina ou praia, deixando de divertir-se e aproveitar alegremente algumas oportunidades de lazer que a vida nos proporciona.

E devo observar a você, querido leitor ou leitora, que estria não é cicatriz e por isso não deve ser denominada assim. Pois no processo de formação da cicatriz, geralmente ocorre devido a um corte cirúrgico ou lesão que deformam a pele com características semelhantes, porém diferentes das estrias.

E lhe convido também a estar participando e interagindo comigo, sugerindo algo ou tirando suas dúvidas. Faça um comentário, que assim que puder lhe responderei!

Um Grande Abraço!

Para saber mais acesse: Como podem ser as Estrias?

PEREIRA, Maria de Fátima Lima. Recursos Técnicos em Estética. São Caetano do Sul: Difusão Editora, 2013

Cosmiatria – Manual Dermatológico Farmacêutico. Guarapuava, 2006

LICHA, Heloísa Maria Elaine. Recursos Estéticos Aplicados aos Tratamentos Corporais. Londrina: UNOPAR, 2014